07/05/2019
Aplicativo da Receita aponta variação de preços de até 300% em produtos vendidos no ES

Texto: Siumara Gonçalves/Rede Gazeta
Foto: Weverton Campos

O consumidor tem ao alcance dos dedos a possibilidade de procurar e comparar o preço de milhares de produtos e, com isso, economizar no final do mês. De alimentos a remédios, passando por combustíveis, a variação pode chegar a 300%. Na palma da mão, com a ajuda da tecnologia, é possível descobrir quanto custa um mesmo produto em diversos estabelecimentos diferentes em todo o Espírito Santo.

De acordo com um levantamento realizado pela Secretaria da Fazenda do governo do Estado, com base no aplicativo Menor Preço, da lista de 40 produtos com as maiores variações de valores no mercado, metade deles está ligado à área de saúde, como remédios.

O item com maior variação de preço é uma vitamina feminina. O menor valor desse produto encontrado pelo aplicativo foi R$ 9,99, e o maior, R$ 39,99, uma diferença de 300,3% entre os valores. Em seguida, está um alisante de cabelo (298,5%), em terceiro uma pomada para bebês (297,3%) e em quarto um remédio para gases (288,2%).

Além de produtos ligados à área de saúde, alimentos e bebidas representam 32,5% desses produtos com maiores variações de preços, seguidos pela área de beleza e estética, com 10%, e outras categorias, 7,5%.

Segundo o subsecretário da Receita, Sergio Pereira Ricardo, o aplicativo de consulta de preços, que completa um ano neste mês, é corrigido 24 horas por dia. “Apenas hoje (ontem), até às 17h30, por exemplo, 2,67 milhões de preços já tinham sido atualizados, e desde janeiro já foram ceca de 60 milhões”, comenta.

Os preços dos produtos são coletados diretamente das notas fiscais emitidas pelos comerciantes. Além disso, não tem nenhum custo para o consumidor.

Todos os estabelecimentos comerciais do Estado, desde janeiro deste ano, são obrigados a utilizar as Notas Fiscais do Consumidor Eletrônica (NFC-e) e as Notas Fiscais Eletrônicas (NF-e). Quando esses cupons são emitidas, o sistema do aplicativo recolhe os dados do item vendido e, em sequência, atualiza os preços.

COMBUSTÍVEIS

Na lista dos produtos mais procurados estão combustíveis, leite, cerveja, arroz, leite condensado, carnes, refrigerantes, tomate, batata e sabão em pó. A busca por combustíveis é tanta que, segundo o subsecretário da Receita, existe um ícone no aplicativo exclusivo para esse produto.

“Temos um grande volume de registro de postos de combustíveis, além disso temos a facilidade na coleta de dados pela emissão da nota”, comenta.

O app é mais uma ferramenta do consumidor para economizar, já que toda forma de poupar dinheiro é muito bem-vinda. Mas, de acordo com o economista Mário Vasconcelos, é importante ficar atento não só ao preço de um único produto. “No caso do supermercado, que representa uma despesa na ordem de 25% a 30% do orçamento da família, é importante pesquisar e optar por aquele comércio que tenha o maior número de produtos com preços baixos”, aconselha.

Segundo o especialista, ficar pulando de supermercado em supermercado em busca de apenas um item que está na promoção pode acabar saindo mais caro. “Muitas vezes, a pessoa esquece de incluir o valor do combustível no cálculo final”, lembra.

RECLAMAÇÕES PODEM SER REGISTRADAS NO PROCON

Em caso de duplicidade de valores ou de anúncio com preços diferentes, o menor é o que deve prevalecer, afirma o Procon Estadual. Segundo a diretora-presidente do órgão de defesa do consumidor, Lana Lages, quando há um preço identificado na loja e outro diferente no aplicativo, o consumidor pode e deve exigir a cobrança do menor valor.

“Isso pode ocorrer em preços publicados ou divulgados em qualquer mídia. Além disso, a empresa que não vender pelo menor valor pode ser punida administrativamente pelo Procon, tendo que pagar multa e sofrer sanção criminal por prática abusiva”, explica.

Lana também lembra que, se o direito do consumidor não for respeitado no estabelecimento, ele pode recorrer ao Procon. “É importante que a pessoa reúna provas, que podem ser fotos, prints e vídeos, por exemplo. Assim podemos, caso necessário, autuar o comércio por agir de má-fé”, afirma.

Aplicativo Menor preço

O que é?

O Menor Preço é um aplicativo gratuito que está disponível para usuários de smartphones nas plataformas Android e IOS.

Para que serve?

Ele compara o quanto custa um mesmo produto em diversos estabelecimentos.

Como funciona?

Os preços são atualizados em tempo real, com base nos registros das Notas Fiscais do Consumidor Eletrônica (NFC-e) e das Notas Fiscais Eletrônicas (NF-e) para as vendas realizadas para pessoas físicas.

O que posso fazer nele?

O usuário pode realizar pesquisas simples de preço e estabelecer critérios na hora de fazer sua pesquisa, como a distância entre ele o estabelecimento e a data em que o produto foi vendido.

Precisa de cadastro?

Para consultas simples não é necessário ser cadastrado. Mas será preciso para fazer e ter o histórico da pesquisa realizada e para que a variação de preço do produto fique registrado.

Qual o raio de abrangência?

O Menor Preço está disponível em todo o Estado do Espírito Santo. Mas, para efeito de pesquisa, o raio de abrangência é de até 20 quilômetros de onde está o usuário, que pode optar por reduzir essa distância.

Ele existe apenas no ES?

Não. Outros Estados, como o Paraná e Pernambuco também usam um aplicativo semelhante a este. Sendo que a primeira versão do app foi desenvolvido pelo governo do Paraná.

Quantos acessos o aplicativo teve em 2019?

De janeiro a maio deste ano, ocorreram mais de 1,7 milhão de acessos ao aplicativo. Na play store do Google são mais de 500 mil downloads.







Outras Notícias: